Browsed by
Tag: Utopia

A CAVERNA DE PLATÃO (II)

A CAVERNA DE PLATÃO (II)

Continuando a reflexão sobre a Alegoria da Caverna de Platão, ou simplesmente “A Caverna”, como a partir de aqui a chamaremos, segue um segundo ensaio dando sequência ao tópico iniciado em Julho deste ano. Trata-se de uma transmutação daquele esboço inaugural, motivo pelo qual o leitor assíduo reencontrará conceitos conhecidos. A Alegoria da Caverna se encontra no sétimo livro da República, de Platão. A República – em grego Πολιτεία, na transliteração latina, Politeía – foi composta no século IV antes de Cristo e é um dos maiores tesouros…

Read More Read More

Share
TEMPO ORIGINÁRIO, ESPERANÇA E UTOPIA - Em memória de Carolina Blasio da Silva e Maria Érbia Carnaúba

TEMPO ORIGINÁRIO, ESPERANÇA E UTOPIA - Em memória de Carolina Blasio da Silva e Maria Érbia Carnaúba

Com enorme tristeza e transtorno, nós lamentamos o falecimento das Dras. Carolina Blasio da Silva e Maria Érbia Carnaúba. Ambas as filósofas da Unicamp eram muito queridas no meio acadêmico, e farão uma enorme falta em nosso caminhar. Com colossal indignação, também protestamos contra a falta de segurança do aeroporto de Viracopos, que, diferente do que afirmou a mídia, foi a responsável pelo acidente que privou-nos de ambas as mulheres, em 26 de agosto de 2017. Essa tragédia evidencia o…

Read More Read More

Share
EDITORIAL: A QUESTÃO AMBIENTAL

EDITORIAL: A QUESTÃO AMBIENTAL

A questão ambiental é, tanto quanto a da edição do genoma humano, um assunto que demanda atenção imediata na época contemporânea. O terceiro tópico do blog estará, portanto, dedicado a ele. A modo de introdução, oferecemos neste editorial a entrevista de #Filosofia Pop à professora Déborah Danowski. Danowski é membro da primeira e por enquanto única linha de pesquisa no país sobre o assunto (Filosofia e questão ambiental, PUC-RJ). No podcast que segue, ela se debruça sobre conceitos fundamentais como antropoceno,…

Read More Read More

Share
DOIS PILARES DA PESQUISA CIENTÍFICA: DEDUTIVISMO E FALSEABILIDADE

DOIS PILARES DA PESQUISA CIENTÍFICA: DEDUTIVISMO E FALSEABILIDADE

Na bandeira do Brasil, lemos: “Ordem e Progresso”. Trata-se de uma abreviação do lema Positivista de Comte: “o Amor por princípio, a Ordem por base e o Progresso por fim“. Não é muito comum que bandeiras estampem palavras, talvez porque mesmo os vocábulos mais interessantes, como “Sabedoria”, “Beleza”, e “Liberdade”, podem facilmente se desgastar sobre o pano nacionalista.   No entanto, vivemos em um país positivista, e em um mundo positivista. E isso nossa bandeira exibe muito bem. O Positivismo, conforme Sabato, foi…

Read More Read More

Share
Platão e os Totalitarismos: a crítica de Popper

Platão e os Totalitarismos: a crítica de Popper

O livro A Sociedade Aberta e seus Inimigos, do filósofo austríaco Karl Popper, é um dos textos de filosofia política mais importantes da modernidade [i]. De ascendência judaica, porém naturalizado britânico, Popper publicou por primeira vez em Londres e em inglês The Open Society and its Enemies em uma data sugestiva:1945. Tendo sobrevivido às Grandes Guerras na condição de intelectual e de exilado, a aguda inteligência de Popper, conhecida fartamente pela reflexão em torno à lógica da ciência, condensou reflexões finíssimas sobre os acontecimentos…

Read More Read More

Share
Avaliação crítica do problema da edição do genoma humano: notas preliminares (II)

Avaliação crítica do problema da edição do genoma humano: notas preliminares (II)

 A Lei de Biossegurança do Brasil No artigo primeiro da Lei de Biossegurança do Brasil se lê que ela estabelece “normas de segurança e mecanismos de fiscalização sobre a construção, o cultivo, a produção, a manipulação, o transporte, a transferência, a importação, a exportação, o armazenamento, a pesquisa, a comercialização, o consumo, a liberação no meio ambiente e o descarte de organismos geneticamente modificados” – âmbitos aos quais depois se adiciona, no artigo segundo, o da “produção industrial”. Essa forma…

Read More Read More

Share
Preocupações em torno à edição genética 

Preocupações em torno à edição genética 

Coloquemos primeiramente o senso comum para funcionar. De imediato surgem uma série de perguntas básicas: Quais são os efeitos de larga escala das manobras de interferência genética? Consideremos, por exemplo, a questão do ZIKA/DENGUE. A proposta é editar a informação do DNA e gerar no laboratório populações de mosquitos sem a doença que, ao misturar-se e reproduzir-se com indivíduos contaminados, cheguem finalmente a substituí-los por completo. A ideia de insetos “produzidos” no laboratório e liberados massivamente não é em absoluto…

Read More Read More

Share