Browsed by
Autor: Natalia Costa Rugnitz

Graduada em Humanidades pela UM (Universidad de Montevideo, 2010), defendeu a dissertação de mestrado “Estrutura e Dinâmica da Psique na Filosofia Platônica de República” (2012) na Unicamp, sob orientação do Professor Lucas Angioni. Atualmente, na mesma casa e sob a mesma orientação, é doutoranda em Filosofia Antiga e trabalha na tese “Utopia e pessimismo na República de Platão”. Leitora e escritora de tempo completo, confia na reflexão e no diálogo como caminhos para a realização e a liberdade. É criadora do projeto Open Philosophy e geradora frequente de conteúdos do blog.

CHAMADO A PUBLICAÇÃO - ABERTO

CHAMADO A PUBLICAÇÃO - ABERTO

Open Philosophy abre convocatória para publicação nos seguintes tópicos:   A República de Platão: Alegoria da Caverna Política: A crise no Brasil – um olhar Filosófico Estética: cinema e filosofia Educação: Métodos didáticos no Século XXI Gênero: Aproximações Introdutórias Religião: Fe, Religiosidade e Fanatismo   A DATA FINAL PARA SUBMISSÕES É 31/12/2017. O MATERIAL APROVADO SERÁ PUBLICADO PERIODICAMENTE ATÉ JULHO 2018. Para mais informação sobre como publicar, siga AQUI  

Share
A CAVERNA DE PLATÃO (II)

A CAVERNA DE PLATÃO (II)

Continuando a reflexão sobre a Alegoria da Caverna de Platão, ou simplesmente “A Caverna”, como a partir de aqui a chamaremos, segue um segundo ensaio dando sequência ao tópico iniciado em Julho deste ano. Trata-se de uma transmutação daquele esboço inaugural, motivo pelo qual o leitor assíduo reencontrará conceitos conhecidos. A Alegoria da Caverna se encontra no sétimo livro da República, de Platão. A República – em grego Πολιτεία, na transliteração latina, Politeía – foi composta no século IV antes de Cristo e é um dos maiores tesouros…

Read More Read More

Share
A CAVERNA DE PLATÃO (I)

A CAVERNA DE PLATÃO (I)

A Caverna é a descrição de um inusitado espetáculo de ilusionismo, um teatro de sombras sinistro em cuja volta acontece uma transformação tão ominosa quanto a encenação mesma. Os espectadores são prisioneiros; o subsolo, o claustro no qual cumprem sua pena; a obra representada, nada além de uma miragem. Mas então um prisioneiro abandona a gruta e, de escravo que era, devém liberto. Na superfície, o liberto descobre o mundo iluminado pelo Sol e o próprio Sol, se emancipa finalmente da…

Read More Read More

Share
PRIMEIRO ENCONTRO DE PÓS GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA DA UNICAMP

PRIMEIRO ENCONTRO DE PÓS GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA DA UNICAMP

16 a 20 de Outubro de 2017 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS SÃO PAULO O 1º Encontro de Pós Graduação em Filosofia da Unicamp acontecerá entre os dias 16 e 20 de Outubro de 2017, e faz parte dos eventos em comemoração aos 40 anos do Programa. PROGRAMAÇÃO FINAL DISPONÍVEL AQUI Nesses 40 anos foram realizadas pesquisas de excelência fundamentalmente nas 4 seguintes linhas de pesquisas: 1. História da Filosofia (Antiga, Medieval, Moderna e Contemporânea) 2. Lógica 3. Pensamento Ético-Político 4. Teoria…

Read More Read More

Share
Crise Política no Brasil: a corrupção e o "vandalismo de gravata"

Crise Política no Brasil: a corrupção e o "vandalismo de gravata"

O que há para além da indignação? A raiva, seguramente. Ou talvez ela venha antes. Seja como for, eis a questão: qual é a paisagem que vislumbram aqueles que atravessaram o agitado tumulto desses nefastos sentimentos? Sem dúvida é uma paisagem inóspita e desolada, um deserto capaz de dissuadir o peregrino mais empenhado e fazê-lo desviar o caminho, abrir-se pela tangente, lançar-se mato dentro e talvez construir uma cabana na montanha onde, isolado em terapêutico retiro, possa recuperar forças e…

Read More Read More

Share
EDITORIAL: A QUESTÃO AMBIENTAL

EDITORIAL: A QUESTÃO AMBIENTAL

A questão ambiental é, tanto quanto a da edição do genoma humano, um assunto que demanda atenção imediata na época contemporânea. O terceiro tópico do blog estará, portanto, dedicado a ele. A modo de introdução, oferecemos neste editorial a entrevista de #Filosofia Pop à professora Déborah Danowski. Danowski é membro da primeira e por enquanto única linha de pesquisa no país sobre o assunto (Filosofia e questão ambiental, PUC-RJ). No podcast que segue, ela se debruça sobre conceitos fundamentais como antropoceno,…

Read More Read More

Share
Platão e os Totalitarismos: a crítica de Popper

Platão e os Totalitarismos: a crítica de Popper

O livro A Sociedade Aberta e seus Inimigos, do filósofo austríaco Karl Popper, é um dos textos de filosofia política mais importantes da modernidade [i]. De ascendência judaica, porém naturalizado britânico, Popper publicou por primeira vez em Londres e em inglês The Open Society and its Enemies em uma data sugestiva:1945. Tendo sobrevivido às Grandes Guerras na condição de intelectual e de exilado, a aguda inteligência de Popper, conhecida fartamente pela reflexão em torno à lógica da ciência, condensou reflexões finíssimas sobre os acontecimentos…

Read More Read More

Share
Avaliação crítica do problema da edição do genoma humano: notas preliminares (II)

Avaliação crítica do problema da edição do genoma humano: notas preliminares (II)

 A Lei de Biossegurança do Brasil No artigo primeiro da Lei de Biossegurança do Brasil se lê que ela estabelece “normas de segurança e mecanismos de fiscalização sobre a construção, o cultivo, a produção, a manipulação, o transporte, a transferência, a importação, a exportação, o armazenamento, a pesquisa, a comercialização, o consumo, a liberação no meio ambiente e o descarte de organismos geneticamente modificados” – âmbitos aos quais depois se adiciona, no artigo segundo, o da “produção industrial”. Essa forma…

Read More Read More

Share
Avaliação crítica do problema da edição do genoma humano: notas preliminares e uma análise de caso (I)

Avaliação crítica do problema da edição do genoma humano: notas preliminares e uma análise de caso (I)

Para poder avaliar a questão da edição do genoma humano desde uma perspectiva filosófica devemos em primeiro lugar evitar o dogmatismo, essa doença. As duas formas mais correntes de dogmatismo neste contexto são o “bioconservatismo” e o “tecnoprogressismo”: aquele consiste em contrapor natureza e tecnologia endeusando a natureza e argumentando que todo tipo de interferência na ordem dada é teimosia, este, em defender o contrário dizendo que o“verdadeiro progresso” dependeu, depende e dependerá sempre justa e crucialmente da experimentação, do risco e da inclusão ousada…

Read More Read More

Share
Preocupações em torno à edição genética 

Preocupações em torno à edição genética 

Coloquemos primeiramente o senso comum para funcionar. De imediato surgem uma série de perguntas básicas: Quais são os efeitos de larga escala das manobras de interferência genética? Consideremos, por exemplo, a questão do ZIKA/DENGUE. A proposta é editar a informação do DNA e gerar no laboratório populações de mosquitos sem a doença que, ao misturar-se e reproduzir-se com indivíduos contaminados, cheguem finalmente a substituí-los por completo. A ideia de insetos “produzidos” no laboratório e liberados massivamente não é em absoluto…

Read More Read More

Share