Não é Harry Potter, é Engenharia Química!

Eu não sei quanto a você querido leitor, mas depois desses feriados prolongados como o de finados, eu demoro um pouco para entrar no ritmo normal de estudo e trabalho (não que eu esteja reclamando, kkkk). Por isso, eu pensei em trazer algo diferente essa semana ao falar sobre os “encantos e poções de Harry Potter” que fazem parte do cotidiano da Engenharia Química. Em outras eras, eu já fiz maratonas com meus irmãos dos oito filmes lançados da história do menino órfão e sua busca para derrotar o Voldemort, e com uma ajuda de um texto do Prof. Geoffrey Maitland do Imperial College London vamos ver sete encantos e poções do mundo mágico que já são realidades graças a Engenharia Química. 1. Essência de ditamno O último uso dessa poção na série foi em Harry Potter e as Relíquias da Morte, quando Ron Weasley arrumou seu braço depois de desaparatar (capacidade de … Continue lendo

Corpo humano em chips

Olá querido leitor. Já faz um tempo que nós não conversamos sobre os avanços da Microfluídica & Engenharia Química. Para compensar esse longo tempo, hoje nós iremos ver como microrreatores e impressoras 3D, dois assuntos que nós gostamos bastante, podem reproduzir a resposta do corpo humano aos agentes químicos e biológicos prejudiciais e desenvolver possíveis tratamentos. Uma equipe de cientistas do Instituto Wake Forest para Medicina Regenerativa, e outras nove outras instituições criaram miniaturas 3D de corações, pulmões e fígados humanos para conseguir testes mais realistas de como o corpo humano responde a novos medicamentos. O projeto “body-on-a-chip“, financiado pela Agência de Redução de Ameaças à Defesa, tem como objetivo ajudar a reduzir o custo estimado de 2 bilhões de dólares e a taxa de falência de 90% que as empresas farmacêuticas enfrentam ao desenvolver novos medicamentos. A pesquisa foi divulgada na revista Scientific Reports (DOI: 10.1038/s41598-017-08879-x), publicado pela Nature. Usando a … Continue lendo

Desenvolvimento de Microrreatores - Uma breve introdução

Olá querido leitor! Já faz algum tempo que nós não conversamos sobre os fundamentos da Microfluídica e da Engenharia Química. Eu sei que às vezes pode ser um pouco chato esses textos. Entretanto, entender esses fundamentos é essencial para explorar melhor as ferramentas dessas áreas e assim desenvolver microdispositivos cada vez mais complexos e dessa maneira, em um futuro próximo, construímos unidades industriais inteiras baseadas em microdispositivos. Os reatores químicos são conhecidos como o coração dos processos químicos industriais, podendo ser o responsável pelo fracasso ou o sucesso econômico. Mas o que são reatores químicos? São equipamentos nos quais ocorrem reações químicas e são encontrados em dois tipos básicos: tanques ou tubos. Nesse segundo tipo é que se enquadram os microrreatores. Podemos definir os microrreatores como dispositivos compostos por microcanais interligados, em que pequenas quantidades de reagentes são manipuladas, reagindo por um determinado tempo. Dependendo do tipo de reação, o desenvolvimento de microrreatores … Continue lendo

Microrreator para o estudo da formação do gelo que pega fogo

Olá querido leitor. Na publicação de hoje iremos conhecer o trabalho de pesquisadores do Instituto Politécnico da Universidade de Nova Iorque (EUA) que pode ter importantes implicações para engenharia e ciência climática. Isso porque esses pesquisadores liderados por Ryan Hartman, professor assistente de Engenharia biomolecular e Engenharia Química estão usando um novo meio de estudar como o metano e a água formam hidrato de metano que lhes permite examinar passos discretos no processo de forma mais rápida e eficiente. O composto Hidrato de Metano, também conhecido como gelo que pega fogo, é apontado por alguns como a energia do futuro. Utilizando um microrreator e pequenas mudanças de temperatura, eles conseguiram explorar o processo indeterminado pelo qual o gás metano se torna um hidrato sólido quando exposto à água. A pesquisa foi publicada no jornal Lab on a Chip (DOI: 10.1039/C7LC00645D). Uma quantidade enorme de metano está presa no pergelissolo (camada de solo congelada dos polos) … Continue lendo

Impressão 3D de laboratórios de chip

Olá querido leitor! Na última semana uma pesquisa publicada por pesquisadores da Universidade Brigham Young (BYU – Utah, Estados Unidos) foi destaque em vários meios de comunicação que abordam notícias sobre Microfluídica e impressoras 3D. Isso porque eles foram os primeiros a imprimir em 3D um microdispositivo viável, pequeno o bastante para ser eficaz em uma escala muito inferior a 100 micrômetros. Pesquisas anteriores usaram impressoras 3D para fazer microcanais, mas não nesta escala. A pesquisa foi publicada no jornal Lab on a Chip (DOI: 10.1039/C7LC00644F).  Para essa inovação, os pesquisadores tiveram que construir a própria impressora 3D para imprimir com uma resolução muito maior e utilizar uma nova resina customizada, de baixo custo e personalizada. “Outros têm canais fluídicos impressos em 3D, mas eles não conseguiram torná-los suficientemente pequenos para a microfluídica”, disse Greg Nordin, professor de engenharia elétrica da BYU. “Então, decidimos fazer nossa própria impressora 3D e pesquisar uma resina que poderia … Continue lendo

Democratizando a Microfluídica

  Olá querido leitor. Hoje eu trago para vocês um projeto bem legal do Laboratório Lincoln do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) (Lexington, MA,USA) que pode democratizar o uso da Microfluídica para muita gente que não domina as ferramentas de criação de microdispositivos, como o AutoCAD, o Inventor entre outros softwares. O site, Metafluidics.org, é um repositório gratuito de projetos para microdispositivos, submetido por todos os tipos de inventores, incluindo cientistas e engenheiros treinados, estudantes e criadores amadores. Os usuários podem procurar no site por dispositivos que vão de simples classificadores de células e misturadores de fluidos, até chips mais complexos que analisam fluidos oculares e sintetizam sequências de genes. Bem legal! O site também serve como uma plataforma social para a comunidade da Microfluídica: qualquer usuário pode fazer login para enviar um projeto; também podem curtir, comentar e baixar arquivos dos designs para reproduzir um dispositivo em destaque ou … Continue lendo

Microfluídica e Impressoras 3D aplicadas no transplante de órgãos

Olá querido leitor, hoje nós iremos ver como duas áreas que eu gosto muito (a Microfluídica e impressoras 3D) podem ajudar a aumentar o número de órgãos viáveis para transplante. Em um estudo recente publicado na revista Lab on a chip (DOI: 10.1039/C7LC00468K), pesquisadores da Virginia Tech (EUA) desenvolveram uma nova tecnologia que eles se referem como “biópsia microfluídica”, que envolve a interface de dispositivos microfluídicos feitos com impressoras 3D com órgãos inteiros. Os microdispositivos estão em conformidade com os órgãos (eles seguem o mesmo tipo de curvatura dos órgãos) e identificam a saúde molecular através de suas assinaturas, ou biomarcadores (para saber mais sobre biomarcadores clique aqui). Em outras palavras, os microdispositivos ajudam a determinar o quão saudável e funcional o órgão doado está. Aumento do número de transplante de órgãos Uma das razões para a falta de órgãos é que muitos órgãos doados nunca são usados, porque pode … Continue lendo